Voto impresso e cédula de voto são coisas diferentes

Quando o assunto é eleição os Estados Unidos não são um dos países mais modernos, ao menos de forma uniforme entre os seus estados. Muitos estados ainda utilizam cédulas de papel para registro dos votos permitindo até que estes sejam enviados por correios e isso levou o atual presidente Donald Trump à fazer alegações de que votos registrados dessa forma não haviam sido devidamente autenticados e por conta disso não deveriam ter sido registrados. A direita do Brasil que apoia o candidato republicano naturalmente embarcou nessa onda, alegando que o processo eleitoral foi fraudado e pedindo recontagem dos votos.

Embora a direita brasileira não exale inteligência e tem se mostrado bem mediocre por esses dias ainda é muito difícil tomar o monopólio da burrice da esquerda marxista, que já vem dominando nesse quesito por mais de um século com fracasso seguido de fracasso em diversas áreas, tais como cultura, filosofia, direito e principalmente economia. Não importa o quanto a direita brasileira tente ser burra, a esquerda sempre irá superar, e agora a nova moda é fazer piada a respeito da direita ter feito alegações supostamente hipócritas de fraude no sistema eleitoral americano, que usa cédulas de papel em alguns estados, por conta da direita ter exigido o voto impresso nas últimas eleições nacionais.

Primeiramente, gostaria de deixar claro que imprimir o voto não é o mesmo que votar por cédulas de papel. Por mais claro que isso pareça para mim, aparentemente isto ainda não está claro para todas as pessoas, o que infelizmente mostra que as pesquisas que apontam a taxa de analfabetismo funcional no Brasil como próxima à 29% estão corretas. Já que cerca de 60 milhões de pessoas no Brasil não entendem o que estão lendo, devemos explicar as coisas com muito cuidado e também re-explicar quando necessário. Sendo assim, cédula impressa de voto é aquela que substitui a urna eletrônica, enquanto voto impresso funciona como um recibo que confirma o candidato no qual você votou, registrando seu voto tanto na forma eletrônica como também na forma física.

Quando o assunto é segurança da informação existe uma área chamada autenticação. Autenticação é um termo que vem do grego authentes, que significa autor. Um processo de autenticação busca determinar se um indivíduo é realmente o autor de um dado ato. Um conhecido mecanismo de autenticação por todos os brasileiros é o cartório. Os cartórios possuem fé pública, o que significa que o estado em nome da população brasileira confia no juízo emitido pelo cartório de que um documento realmente foi assinado por um indivíduo. Sendo assim, além de contar com a sua assinatura o documento irá também contar com um outro fator de autenticação que é o reconhecimento do cartório.

Como todo processo de autenticação seja por físico ou eletrônico possui vulnerabilidades, faz-se necessário que mais fatores sejam adicionados para aumentar a segurança daquele processo, e quanto mais importante a informação, mais fatores normalmente são adicionados tal como a assinatura sendo um fator e a autenticação do cartório sendo outro. Além disso, você também já deve estar familiarizado com múltiplos fatores de autenticação eletrônicos para acessar seu e-mail ou conta no Facebook por exemplo, onde além do seu usuário e senha também é necessário confirmar um número recebido por SMS ou um número gerado de forma pseudo-randômica pelo seu aparelho celular.

Dito isso, a impressão do voto não visa substituir a urna eletrônica, mas sim adicionar mais um fator de segurança à ela. Recentemente o governo brasileiro implementou a biometria por impressão digital no processo eleitoral para tentar evitar que um eleitor se passe por outro, o problema é que a biometria não garante que o governo não está mentindo para a população a respeito do processo eleitoral, isto é, a população não tem como fiscalizar de forma efetiva os votos contabilizados. Se após registrar o voto na urna eletrônica, uma cédula for impressa para o eleitor a inserir em uma urna para cédulas de papel, o processo eleitoral então poderá ser verificado de uma outra forma, que visa determinar se os votos foram de fato contabilizados de forma autêntica ou não.

Espero que esse texto ajude algumas pessoas a entenderem a diferença entre o voto impresso proposto pelos eleitores brasileiros e a cédula de papel utilizada nos Estados Unidos.